terça-feira, 20 de novembro de 2007

O Livreiro de Cabul - outra realidade


Nós, brasileiros, costumamos lamentar a situação de nossa sociedade, criticar os governos e a justiça, criticar as vezes até as leis. Porém, após a leitura de "O Livreiro de Cabul" eu pude concluir que os brasileiros andam reclamando "de barriga cheia". Apesar das injustiças e problemas sociais enfrentados, a nossa vida (em geral) é muito boa em relação a vida das pessoas de certos países, por exemplo, o Afeganistão.
O livro mostra que neste país (não só neste como também em vários outros), além das diferenças econômicas e religiosas em relação a países como o Brasil, há também fortes diferenças da vida social, cotidiana. Há ênfase na posição social das mulheres, que sofrem muito mais do que nós brasileiras, por serem consideradas seres menos capazes e serem freqüentemente menosprezadas, criticadas, e desrespeitadas inclusive pelos próprios maridos.
A história é baseada na experiência vivida por uma jornalista norueguesa, Asne Seierstad, que ficou por um longo período hospedada na casa de uma família afeganistã, que tinha relativamente boas condições de vida (possuíam uma boa casa e uma loja, uma livraria) e mesmo assim, a jornalista pode presenciar verdadeiras atrocidades contra as mulheres da família, pois certos costumes se encontravam em todas as classes sociais.
Asne convivia direto com a família, passava praticamente todos os seus dias a observar os costumes e idéias das pessoas da casa e também outros parentes, vizinhos, amigos. Assim pôde concluir que as mulheres afegãs realmente podem ser consideradas injustiçadas, desrespeitadas. O Pai da família, que já tinha mais de 40 anos (assim como sua primeira mulher) resolveu casar-se novamente no período que Asne estava hospedada na casa. Asne pôde presenciar o sofrimento, a rejeição do marido em relação a sua primeira mulher, que se sentiu completamente abandonada (enquanto o marido divertia-se em sua lua-de-mel, na mesma casa, com a nova esposa de menor idade). Este tipo de situação é muito comum no Afeganistão, a primeira esposa sofria muito, mas tinha o dever de continuar sendo uma boa esposa, mãe e dona-de-casa. E além disso, se acostumar a conviver com a outra esposa do marido.
Asne também conta de momentos que lhe causaram revolta, que teve vontade de fazer algo para impedir o sofrimento tão grande das novas companheiras. Por exemplo, o fato de que uma vizinha adolescente, que por apenas estar num táxi junto com um menino, foi completamente espancada pelo tio que considerou sua atitude impura.
Na família, Asne era vista como um tipo de pessoa bissexuada, pois era mulher, mas era tratada com total respeito e como se fosse "tão capaz quanto um homem". Entretanto as outras mulheres da casa eram tratadas as vezes até como escravas, tinham de se submeter ás vontades dos homens, sem nenhuma saída, nenhum tipo de lei que pudesse as livrar de suas situações.
Concluo eu, que realmente nossa vida no Brasil é ótima. Aqui há punição para os casos de violência ás mulheres, e na maioria das vezes as mulheres não são consideradas menos capazes que os homens, menos capazes de raciocinar, aprender, evoluir.
Com a leitura deste livro eu resolvi pensar sempre duas vezes antes de reclamar da minha vida. É uma história que definitivamente faz com que nós, mulheres brasileiras, paremos e pensemos: Graças a Deus eu nasci no Brasil.
Júlia Molina

Pedro Rigon

pois é em?! a galera toda no aperto de ganha 1,5 veio posta hoje oh coisa bonita...
ahahahahha
fazer o que ne...

bah se alguem tive afim de ler algum livro por livre e espontânea vontade(oq nessa turminha aqui é foda) vim recomenda o guia do mochileiro das galáxias de Douglas Adams, o livro é incrivel. Alem da trama ser ótima e prender o leitor o livro é engraçadissimo. O autor usa de diversos meios para inventar uma história inacreditável se tornar menos acreditavel ainda e com um otimo humor. O livro contem 4 volumes mas lendo o primeiro ja se percebe com é bom o livro.
criticas a parte venho recomneodr o livro também como um colega leiam o livro e se riam de forma nunca rida antes nas suas vidinhas mediocres...(muito desnecessario isso)

O vizinho

No prédio onde moro, faz um ano, residia um vizinho um tanto quanto arrogante, que logo vi que trabalhava em algo importante, talvez no governo ou algo do tipo.Quando o encontrava no elevador, um aceno com a cabeça era o máximo que dito cujo me concedia, sempre com seu ar de superioridade e seu terno impecável repleto de broches da bandeira e do governo do Estado. Não me importava muito, saía sem cumprimentar e seguia meu caminho.
Algumas semanas atrás estouraram mais escândalos de corrupção e crise no país, o que não é surpresa para ninguém. Surpresa (ou não) foi quando vi estampado na capa da Zero Hora meu simpático vizinho algemado saindo de um camburão da polícia. Descobri que não só ele possuía um alto cargo trabalhando para o Estado, como estava sendo acusado de corrupção e fraude. Meu sentimento foi único e claro: vergonha alheia. Um homem daquela pose, que esperava o motorista do governo vir buscá-lo todos os dias na frente do edifício, saindo algemado de um carro da polícia por desviar dinheiro.
Não é novidade para ninguém a crise em que o Brasil está mergulhado: é fraude na cultura, crise nos aeroportos, dinheiro desviado daqui aparecendo na conta de um ou de outro. Mas acho que quando o problema se aproxima realmente de nós é que notamos o quão vergonhoso ele é. E o pior de tudo é que a situação em que o país se encontra não parece ter previsão para acabar. Mas afinal o que são esses detalhes se a Copa do Mundo de 2014 é nossa? O Carnaval está chegando, não vamos nos preocupar com esses milhões diários roubados dos bolsos dos contribuintes e colocados nas cuecas dos deputado.
Por último, alguns fragmentos de um texto de Fernando Gabeira:
“Não condeno gastos com a Copa, apenas lamento que essa ruidosa concordância não se dê em torno de outros temas essenciais.(...) Continuarei vaiando os governos do passado, presente e futuro próximo. Certamente vão perguntar: como é possível torcer contra o Brasil? De certa forma, é minha especialidade. Se ser brasileiro é isto, não contem comigo.”




Luciana Webster Negretto (:

Relflexão sobre "Poema em linha reta"

Tomei a liberdade de cortar umas partes desse poema de Fernando Pessoa para encurtar um pouco e ver se o pessoal se anima a ler todo, porque um poema gigante sempre dá uma preguiiiiça de ler...Acho realmente genial um escritor que viveu em um século diferente conseguir produzir um poema completamente atemporal.

Poema em Linha Reta, de Fernando Pessoa

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
(...)
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
(...)
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,

Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
(...)
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
(...)
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado

Para fora da possibilidade do soco;
(...)
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo

Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana

Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal
(...)

Arre, estou farto de semideuses!

Onde é que há gente no mundo?

Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,

Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores
Sem titubear?
(...)





Reflexão:

Até mesmo o ser mais confiante desse mundo já vivenciou um dia onde sua auto-estima deixa a desejar. Nos achamos então feios, ridículos, incompetentes. Tais dias nos trazem uma certa tendência à comparação: todos nos parecem melhores, mais bonitos, mais inteligentes, mais capazes.
“Nunca conheci quem tivesse levado porrada.Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.” Todos nós já levamos porrada, já perdemos, já fomos ridículos, absurdos.As vezes ganhamos, as vezes perdemos,mas é muito mais conveniente esconder os fracassos e defeitos e nos gabar de nossas qualidades e ganhos. Afinal, por qual motivo contaríamos uma derrota? Para mostrar que somos humanos? É muito melhor ser, como diria Fernando Pessoa, um semideus. A verdade é que ser humilde não está na moda, bom mesmo é omitir as derrotas, as porradas e exaltar como somos campeões, como somos o Ideal. Tudo isso tem um certo tom de decadência, porque sabemos que é impossível sempre ganhar, mas mesmo assim continuamos a nos comparar com quem é, aparentemente, o eterno campeão.
Se houvesse um pouco mais de humildade entre as pessoas, nós sairíamos de nossos pedestais e compartilharíamos nossas derrotas. Isso ajudaria a diminuir a distancia que existe entre os seres humanos, que cada vez mais ficam menos solidários com a situação alheia. Acreditamos que para mudar o mundo e ajudar os outros é preciso grandes ações ou mobilizações, o que é um grande equivoco. Conte um mico, uma situação constrangedora, uma derrota para aquele amigo que está num dia difícil, certamente quando você estiver assim, não verá tantos semideuses e campeões, mas sim, humanos.







Luciana Webster Negretto (:

Uma verdade inconveniente

"O aquecimento global não é apenas uma questão científica, nem política. É na verdade, uma questão moral." É o que disse Al Gore, em seu livro e filme Uma Verdade Inconveniente. O americano quis dizer que os maiores, e talvez, únicos culpados do aquecimento global somos nós, seres humanos. Fazemos isso pois não temos conhecimento do que atirar um papel na rua, deixar vários eletrodomésticos ligados e outros, podem causar em um futuro talvez breve.
São poucas as pessoas que pensam em preservação ao invés da praticidade, ou seja, a maioria de nós não têm paciência para segurar um pouco mais aquele papel que tem que ir para o lixo, para botar no lugar correto, e acabam deixando-o discretamente no chão. Estamos todos sofrendo com as altas temperaturas, algumas milhares de pessoas sendo prejudicadas com a seca, perdendo suas lavouras. E outras perdendo suas casas por causa de desmoronamentos causados por temporais, isso tudo é nossa culpa!
Hoje, quando o mundo inteiro enfrenta as conseqüências de seus atos, o aquecimento global ganha filmes, livros, trabalhos escolares, páginas na internet, pesquisas em laboratórios e matérias em jornais de todo o mundo. Talvez, essa seja a única maneira das pessoas perceberem que estão acabando com o lugar onde vivem e conseqüentemente acabando com suas vidas. Então me pergunto: até onde vamos chegar?
Larissa

Homenagem a Consciência Negra

Gog - Brasil Com P

PESQUISA PUBLICADA PROVA
PREFERENCIALMENTE PRETO
POBRE PROSTITUTA PRA POLÍCIA PRENDER
PARE PENSE PORQUÊ?
PROSSIGO
PELAS PERIFERIAS PRATICAM PERVERSIDADES
PM'S
PELOS PALANQUES POLÍTICOS PROMETEM PROMETEM
PURA PALHAÇADA
PROVEITO PRÓPRIO
PRAIAS PROGRAMAS PISCINAS PALMAS
PRA PERIFERIA
PÂNICO PÓLVORA PA PA PA
PRIMEIRA PÁGINA
PREÇO PAGO
PESCOÇO PEITOS PULMÕES PERFURADOS
PARECE POUCO
PEDRO PAULO
PROFISSÃO PEDREIRO
PASSATEMPO PREDILETO
PANDEIRO
PRESO PORTANDO PÓ PASSOU PELOS PIORES PESADELOS
PRESÍDIO PORÕES PROBLEMAS PESSOAIS
PSICOLÓGICOS PERDEU PARCEIROS PASSADO PRESENTE
PAIS PARENTES PRINCIPAIS PERTENCES
PC
POLÍTICO PRIVILEGIADO PRESO PARECIA PIADA
PAGOU PROPINA PRO PLANTÃO POLICIAL
PASSOU PELO PORTA PRINCIPAL
POSSO PARECER PSICOPATA
PIVÔ PRA PERSEGUIÇÃO
PREVEJO POPULARES PORTANDO PISTOLAS
PRONUNCIANDO PALAVRÕES
PROMOTORES PÚBLICOS PEDINDO PRISÕES
PECADO PENA PRISÃO PERPÉTUA
PALAVRAS PRONUNCIADAS
PELO POETA IRMÃO

Essa rap do GoG nos faz pensar sobre muitas coisas. Não apenas em relação a sociedade que vivemos mas também sobre a estrutura textual (na música todas músicas começam com a letra P) e também sobre a importância da literatura aliada a linguagem no nosso dia-a-dia.

Albert Ohira Dias

Dia da consciência negra

O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira.
A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. Apesar das várias dúvidas levantadas quanto ao caráter de Zumbi nos últimos anos (comprovou-se, por exemplo, que ele mantinha escravos particulares) o Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar a resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte forçado de africanos para o solo brasileiro (1594).
Algumas entidades como o Movimento Negro (o maior do gênero no país) organizam palestras e eventos educativos, visando principalmente crianças negras. Procura-se evitar o desenvolvimento do auto-preconceito, ou seja, da inferiorização perante a sociedade.
Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência neste dia são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.
O dia é celebrado desde a década de 1960, embora só tenha ampliado seus eventos nos últimos anos; até então, o movimento negro precisava se contentar com o dia 13 de Maio, Abolição da Escravatura – comemoração que tem sido rejeitada por enfatizar muitas vezes a "generosidade" da princesa Isabel, ou seja, ser uma celebração da atitude de uma branca.
A semana dentro da qual está o dia 20 de novembro também recebe o nome de Semana da Consciência Negra.
Fonte: Wikipedia

Brasil-União e Respeito
Albert Ohira Dias

Que tal sem presidente?

Num país sem presidente
Cada qual é diferente
Sem ninguém para guiar
Muita gente rouba a gente

Num país com presidente
Sendo ele analfabeto
Muita gente rouba a gente
E ninguém o quer por perto

Se o presidente fosse a gente
Roubar dele também iam
Se eu fosse presidente
Cuidar dele é que eu não ia

Todos os dias escuto:
"sem o estudo, não vais a lugar algum"
Mas se quem não tem educaçao vira presidente
Por que ela tem que estar presente?


Ana Cristina Miola

Poema-O Amor e as Certezas

Meu amor
não existem palavras para descrever esse amor
amor é simplesmente inexplicavel
amor me vez o que eu sou
com amor eu senti tudo que podia
ai o amor como é bom amar
o amor faz das certezas do mundo incertas
meu amor não me deu valor
meu amor me deu a dor
o amor me mostrou o lado negro do romantismo
o amor não se arrependeu
o amor sobreviveu
nessa noite o amor
virou Amor

Pedro Rigon

Crítica-Compaixão

Nenhum De Nós - Compaixão

Primeiro eles pedem perdão
Depois perdem a paciência
E o próximo passo
Pequenos pecados esquecidos tão depressa
Quanto feitos
Sempre não é para sempre
Padres não podem prever pecados
É presente o perigo
E somente palavras que não curam mas aproximam
as mãos
Permitam que os seus filhos
Aprendam a ter compaixão
Ensinem os seus filhos
Ensinem a ter compaixão
Permitam que os seus filhos
Aprendam a ter compaixão
Ensinem os seus filhos
Compaixão
No passado a peste
Manchas na pele
Pernas para o ar
Na partida prematura
Da pessoa próxima
Sempre não é para sempre
Padres não podem prever pecados
É presente o perigo
E somente palavras não curam mas aproximam
as mãos
Permitam que os seus filhos
Aprendam a ter compaixão
Ensinem os seus filhos
Ensinem a ter compaixão
Permitam que os seus filhos
Aprendam a ter compaixão
Ensinem os seus filhos
Compaixão
Permitam que os seus filhos
Aprendam a ter compaixão
Ensinem os seus filhos
Ensinem a ter compaixão
Permitam que os seus filhos
Compaixão
Compaixão

O poema que escolhi para comentar é a música Compaixão do Nenhum de Nós. Eu escolhi essa música porque além de acha-la bem legal, acho bonito ver em meio a tantas músicas falando palavrões e vulgaridades uma música com um refrão tão bonito:
"Permitam que os seus filhos Aprendam a ter compaixão Ensinem os seus filhos Ensinem a ter compaixão"
Acredito que cada pessoa tenha uma interpretação própria da palavra compaixão. No dicionário compaixão é apresentada como sinônimo de dó, pena e piedade, com certeza essa palavra não é de fácil definição e é uma palavra sem sinônimos precisos. Para mim compaixão significa ter sentimento de carinho por alguem, tomar a dor de alguem e acima de tudo estreitar laços com uma pessoa. Qual a sua interpretação de Compaixão?

Lucas Pilar

Letra e Música

Uma mistura fina de comédia, romance e uma trilha sonora impecável. Esse pode ser o resumo desse divertido e envolvente filme, que trata da sintonia entre o antigo, representado por um ex astro de pop rock dos anos 80 (Hugh Grant), com otima atuação por sinal, e o atual, com uma nova diva dos palcos do momento.
Pode até parecer uma história básica: um cantor em decadência no submundo da fama, uma porta que se abre, e uma fonte de inspiração com dons da arte e das letras, representada por uma simples jardineira (Haley Benet), que se transformou em uma grande compositora, e que deu o toque sutil nessa trama.
Apesar de não ter vivênciado essa época dos anos 80, consegui ser contagiada com o momento pop, que certamente foi marcante para essa geração, e senti o amor transbordando nesse filme maravilhoso.

Izadora Garcia

O verdadeiro sentido da palavra


"Imortalidade é ser o único Campeão do Brasil de forma invicta; Imortalidade é vencer o Campeão do Mundo São Paulo no Morumbi em uma final; Imortalidade é derrubar um dos mais fortes times da história e assim se sagrar Campeão do Mundo (BARCELONA); Imortalidade é ser sempre o maior vitorioso frente ao seu rival; Imortalidade é vencer o chamado "Gre-nal do século", de virada com um homem a menos; Imortalidade é nunca ter disputado um escalão de mortais: a Segunda Divisão... Bater nos fracos com sofrimento é mediocridade, não imortalidade. Imortalidade é bater nos grandes e ser grande, e nada mais. Co-irmão, fique com sua "imortalidade" e continue amando seus títulos, nós COLORADOS mesmo com conquistas épicas ficaremos com nossa PAIXÃO, DEVOÇÃO e um AMOR inigualável a nossa bandeira!"
Tu complestas a minha vida!!!


A vida é a saudadeDe te ter presenteNo meu imenso e belo sonetoÉ o sonho ausenteNeste soneto de te amar.Sinto-me falsoE fujo das horasDos segundos, dos minutosDos dias e de Deus!... Completas-me totalmente!!!Tu és todo o sentidoÉs aquilo que sentido... sei...... E hoje é quarta-feira,Amanhã será outro diaOutra feira!Mas tu completas-meTodos os diasNo bom diaQue tenho a tua beira!!!Paulo Martins

Autor: Paulo Martins (postado por augusto canario)

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Auto-estima



Hoje em dia, os manuais de auto-ajuda são tão populares quanto os celulares ou a internet. Eles ensinam como ficar rico rapidamente, como atrair a sorte e como evoluir profissionalmente. Se tudo que é dito nesses manuais fosse resumido, resultaria em um único conselho: acredite em você mesmo, tenha confiança em si próprio, goste de você..
A auto-estima é muito importante para as famílias, os amigos, as equipes esportivas, etc. Em todos os ramos de atividades as pessoas necessitam acreditar na sua capacidade, no seu potencial, nos seus conceitos. Todo aquele que acredita em si e acredita em suas idéias, se torna naturalmente forte, capaz de levar adiante suas metas.
Antigamente se acreditava que a auto-estima se formava na infância, porém se sabe que a qualquer momento de nossas vidas, ela pode ser alterada. Existem métodos que podemos utilizar para mudarmos os falsos conceitos e idéias que casualmente podemos ter. Quando temos algum pensamento negativo a respeito de nossos valores e capacidade, devemos avaliar se tem ou não fundamento. A melhor maneira de corrigirmos nossos erros e nossos defeitos é parando para analisá-los e corrigi-los.
A pessoa que é orientada tem senso crítico em relação ao seu potencial. Sabendo administrar os seus valores e tendo consciência de suas limitações, levará sua vida num sentido construtivo, seja no meio profissional ou pessoal. Então, podemos concluir, que é tão errado a pessoa se julgar mais do que é, assim como se valorizar menos do que merece.
Fernanda Guimarães

Não Digam que Isso Passa

Não digam que isso passa,
não digam que a vida continua,e que o tempo ajuda,
que afinal tenho filhos e amigos
e um trabalho a fazer.
Não me consolem dizendo que ele morreu cedo
Mas morreu bem ( que não quereria uma morte como essa?)

Não me digam que tenho livros a escrever e viagens a realizar.
Não digam nada.
Vejo bem que o sol continua nascendo nesta cidade de Porto Alegre
onde vim lamber minha ferida escancarada.
Mas não me consolem:
da minha dor, sei eu.

Lya Luft


Eu escolhi este poema, porque eu gosto da maneira que a Lya Luft atinge o leitor. Ao procurar um poema dela que demonstrasse essa característica que eu gosto, me deparei com este, o qual achei muito verdadeiro. O jeito que ela descreve a dor é algo que todos nós compreendemos. Muitas vezes estamos sofrendo e alguém vem tentar consolar, só que só nós sabemos o que sentimos, como ela mesma diz: "da minha dor, sei eu." Talvez ela estivesse passando por alguma situação dificil quando escreveu, porque a maneira que ela coloca isso no papel é tão verdadeira, que nós leitores sentimos no coração a mensagem que ela está tentando passar. Achei um poema bonito, verdadeiro, que qualquer pessoa, pelo menor sofrimento que já tenha passado, consegue se identificar.

Nicolle Gouveia

Click

Michael Newman (Adam Sandler) é casado com Donna (Kate Beckinsale), com que tem Ben (Joseph Castanon) e Samantha (Tatum McCann) como filhos. Michael tem tido dificuldades em ver os filhos, já que tem feito serão no escritório de arquitetura em que trabalha no intuito de chamar a atenção de seu chefe (David Hasselhoff). Um dia, exausto devido ao trabalho, Michael tem dificuldades em encontrar qual dos controles remotos de sua casa liga a televisão. Decidido a acabar com o problema, ele resolve comprar um controle remoto que seja universal, ou seja, que funcione para todos os aparelhos eletrônicos que sua casa possui. Ao chegar à loja Cama, Banho & Além ele encontra um funcionário excêntrico chamado Morty (Christopher Walken), que lhe dá um controle remoto experimental o qual garante que irá mudar sua vida. Michael aceita a oferta e logo descobre que ela realmente é bastante prática, já que coordena todos os aparelhos. Porém Michael logo descobre que o controle tem ainda outras funções, como abafar o som dos latidos de seu cachorro e também adiantar os fatos de sua própria vida.


Alguns dias atrás, quando estava assistindo tv, ao passar os canais, me deparei com esse filme; o nome me chamou a atenção, por já ter ouvido bons comentários a respeito. Decidi então assisti-lo, afinal não tinha nada a perder, mesmo pensando que seria uma daquelas clássicas comédias americanas. Porém, acabei me surpreendendo; ele traz uma bela mensagem, e leva à reflexão dos valores e prioridades de cada pessoa, e suas conseqüências. Com o personagem, o que aconteceu foi que ao usufruir do controle, passou a dar mais atenção a seu trabalho e suas promoções, e nos momentos que tinha com sua família, por exemplo, ele “passava”; apenas com o simples gesto de apertar um botão, ou comando. Isto o levou a perder diversos acontecimentos importantes ao longo do tempo (com sua família, amigos, mulher), que não tinham mais como voltar, pelo fato de que o controle era tão avançado que passou a intervir nas escolhas de Michael, que não consegue evitar que o acessório decida quais episódios de sua vida ele viverá e quais perderá. É só então que ele começa a realmente apreciar e aceitar a própria vida, desfrutar de tudo, do que ela tem de melhor e pior. O filme nos mostra, que devemos aproveitar cada minuto, cada acontecimento, devemos “saborear” cada momento de nossa vida. Muitas vezes, ficamos sob um “piloto automático” em que passamos a viver de uma maneira automática.. fazemos tudo sem sentimento, sem aproveitar o tempo, sem aproveitar o momento, esperando as horas passarem para estarmos em outro lugar, fazendo alguma outra coisa...A nossa vida precisa ser vivida, sentida, amada, com intensidade, pois o tempo vai passando, as pessoas, tudo passa e não volta mais. Enfim, é preciso saber dar a devida atenção e importância a cada coisa, sem deixar de ter que enfrentar os problemas, afinal são inevitáveis; mas também aproveitar os momentos bons, da melhor maneira possível.
Fernanda Guimarães

Hai Kai's

Ai vão alguns hai kai's que acabo de inventar.

Jardin sem flores
aparelho de som
sem cd's

Em ninho de saúvas
cantan sabiás
sem destino

Fim de verão
voltar as aulas
alegre despedida

Telhado de Folhas
No Outono
Camufla

imensidão sem fim
agitação infernal
tubulações perfeitas

Bolhas coloridas
Sopradas ao ar
voam

Parede Azul
perfeita formação
Criação dos Deuses


Lucas Rodrigues

Dançe

Dança sem parar
Não pára pra respirar
A música ainda está no ar
Num piscar de olhos ela acaba
Então, não pára, mesmo que seja pra beber água
Curte a vida porque ela é curta
E dança sempre, sem parar.

Izadora Garcia

Dançe

Dança sem parar
Não pára pra respirar
A música ainda está no ar
Num piscar de olhos ela acaba
Então, não pára, mesmo que seja pra beber água
Curte a vida porque ela é curta
E dança sempre, sem parar.

Izadora Garcia

Dúvidas

A vida segue seus passos tropeçando nas dúvidas.
A própria certeza é uma dúvida, como saber se é mesmo tão certo?
Como ter certeza, se tudo pode mudar?

Mas não há como escapar das dúvidas,
E o que fazer senão arriscar-se a enfrentá-las?
Alguma decisão sempre é tomada.

E que dúvidas são essas,
Que dominam a cabeça,
Mas dependem do coração?

Dúvidas simples,
Que roupa uso hoje,
Ligo ou não ligo,
Durmo ou vou á academia?

Dúvidas medianas,
Estudei o suficiente,
Compro ou não compro,
Para onde viajarei no feriado?

Dúvidas difíceis,
Falo ou não a verdade,
Ele ou o outro,
Que vestibular vou fazer?

Em terra de dúvida, brotam enfim as decisões, as escolhas.
E para quem semeia bom caráter,
Não há dúvida que haverá de colher alegrias e triunfos.

Júlia Molina

SINCERIDADE

Procure alguém que te ame
Simplesmente por você existir
Que te olhe todos os dias e pense
Sempre em te fazer feliz

Que te deixe chorar o fundo da alma
Quando você não consegue sorrir
E que te leve ao mais profundo carinho
Quando você conseguir

Eu procuro por você
E você sabe que é você quem eu procuro
Seus olhos são apenas o que eu vejo
Quando vejo que está tudo escuro

Quando aperto sua mão eu sinto
Que o mundo a minha volta desaba
Enquanto gira lentamente
E tudo volta a ficar escuro para sempre...

Somente quando eu olho nos seus olhos
E não sinto nenhum arrependimento
Apesar de estar tudo errado
Tudo parecer ser feito para ser quebrado
Consigo carregar minhas palavras de sentimento

Izadora Garcia

Crítica

O texto que venho criticar é da psicóloga clínica Juliane Callegaro Borsa, publicado na ZH do dia 12 de outubro deste ano, lido por nós na aula de português. A doutora relata a infância das nossas crianças, criticando o modo como elas vivem, rodeadas de computadores e videogames,e também dos menores de classe social e econômica mais baixa, que pedem esmolas na rua e moram nela. Criticando assim, a maneira com que a maioria trata essas crianças. É citado também que o conceito de infância é alterado junto com a sociedade.
Concordo na questão em que a infância mudou, porém acho que isso é algo inevitável, um processo natural, de evolução de nossa espécie. Tratamos elas como pequenos adultos pelo fato de muitas vezes elas ensinarem coisas aos grandes adultos que possuem maior conhecimentos do que os pequenos. Hoje, nas escolas, crianças são tratadas como os "salvadores do futuro", pois o mundo se encontra em uma situação nem um pouco confortável e são eles quem podem salvar o planeta que os "grandes" estragaram.
Juliane cita o fato das crianças deixarem de conviverem com outras crianças, pois preferem a companhia de um meio eletrônico. Na minha opinião isso não ocorre com tanto êxito como o referido pela autora. Na escola, em aniversários, praças, e outros as crianças brincam com outras sim, porém, as brincandeiras são diferentes das feitas pelos seus pais. Talvez, esse seja o motivo da psicóloga estranhar certas ações dos nossos pequenos.
Posso dizer então que, concordo parcialmente com a escritora, pois concordo que a infância mudous, porém em diferentes aspectos.
Larissa

Até Quando? – Gabriel pensador - Crítica

Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer

Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer

Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura

(Refrão)
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

(Repete refrão)

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante

(Refrão x2)

A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário

(Refrão x2)

A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco

A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você

Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem q'eu seja educado, q'eu ande arrumado q'eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá

Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar

Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não

(Refrão x2)

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente

Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro

(Refrão)


Essa música de Gabriel Pensador, assim como todas as outras que ele produz, fala muito de como é a nossa sociedade. Aqui, o autor mostra como a sociedade é injusta e diz que devemos fazer algo para mudar isso, e não apenas esperar para que os governantes façam. Mostra que muitas pessoas são extremamente individualistas (Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente ,seu filho sem escola, seu velho tá sem dente). Temos em uma parte que o autor mostra que, ao contrário do que vários pensam, o mundo não oferece oportunidades a todos (Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá).
Novamente, Gabriel fala sobre a violência no Brasil, principalmente sobre a polícia, que ele considera muito injusta (A polícia matou o estudante, falou que era bandido, chamou de traficante .A justiça prendeu o pé-rapado Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário) (A polícia só existe pra manter você na lei, lei do silêncio, lei do mais fraco: Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco).
Para finalizar, o cantor pede que as pessoas mudem o seu comportamento, suas atitudes e também seus modos de pensar, pois se todos mudarem, refletirem mais e lutarem pelo que desejam, a sociedade vai melhorar.



LUCA SANTOS MATZENBACHER

Uma pérola para completar

Eu perdi uma jóia
Que não para de brilhar
Todos os caminhos eu percorrerei
Para um dia te encontrar

Com meu grande amigo
Em busca da pérola irei
Pois tenho um objetivo
Que eu alcançarei

Sem ela fico incompleto
Minha vida não faz sentido
Minha poesia se preenche
Com esse vazio sem sentido

Depois de muito tempo
A pérola eu encontrei
Agora, assim, finalmente
Descansar em paz eu poderei



LUCA SANTOS MATZENBACHER

O CAMINHO DO VENTO

”Anos passam como os ventos,
do caminho do vento.”

Lembro-me tanto daquele tal caminho que passava junto com minha babá, Neusa, chutando pedrinhas e catando moedas quando era pequeno. Um caminho estreito com árvores variadas de ramos compridos, paredes brancas sutilmente pichadas e de calçada mal cuidada. Por ser estreito e arborizado, era sujeito a todos os tipos de ventos, desde a mais forte ventania, onde se podia ouvir o forte ruído das árvores balançando, galhos quebrando, folhas caindo e se arrastando pelo chão ou de leves brisas, aquelas que produzem nas árvores sons sutis de folhas batendo e que nos possibilitam escutar o canto agudo dos passarinhos.
Poderia ser para muitos só mais um caminho dessa cidade atípica, porém havia nele uma ligação com o vento que o tornava para mim único. Não importasse onde meu destino fosse sempre tratava de incluir o “caminho do vento” no meu trajeto. É difícil descrever o que sentia atravessando aquele trecho, parecia que cada vez que por lá passava uma paz diferente tomava meu corpo. Refletia sobre tudo, me dava conta de como havia uma beleza particular em cada canto que olhava. Lembrava de pessoas queridas, era como que se naquele momento todas aquelas pessoas que eu tivesse carinho estivessem ali caminhando comigo, mas era só eu, Neusa e o vento.
Passaram-se anos, e eu seguia sempre cruzando o tal caminho, até que então me vi caminhando sozinho. Já dispensava a companhia de um adulto ao meu lado, me sentia independente e crescido, mas o vento continuava ali com seus mesmo efeitos. Andava agora por minha conta, porém o caminho mantinha aquela brisa leve no verão, a ventania forte no inverno e os ventos constantes na primavera. Estava fisicamente solitário, entretanto me sentia sempre confortável e acompanhado caminhando por ali.
Nunca mais passei por lá, não sei se ele ainda existe ou foi destruído, porém sempre que sinto um vento sutil ou uma ventania, me lembro de Neusa, minha infância e do Caminho do Vento.

Crônica de GUILHERME BAPTISTA SCHWARTSMANN

Vitória

A humanidade vive de glórias
muitas delas se tornarão histórias
daqueles de quem as faz

Como o colorado, Campeão do mundo
Sua vitória estampada no escudo
para sempre relembrar

Clube do povo
Para ti torcerei denovo e denovo
pois jamais te abandonarei

Inter, meu amor aqui expresso
em forma de versos
são como uma parte desta paixão incondicional

Henrique Ouriques Capeletto

ATÉ QUANDO????




Até Quando?
Gabriel Pensador

Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer

Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer

Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura

(Refrão)
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

(Repete refrão)

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante

(Refrão x2)

A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário

(Refrão x2)

A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco

A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você

Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem q'eu seja educado, q'eu ande arrumado q'eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá

Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar

Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não

(Refrão x2)

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente

Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro

(Refrão)


CRÍTICA

Nesta música Gabriel nos transmite a realidade da classe mais humilde do Brasil, juntamente da decepção da política do nosso país.

"Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer". Neste trecho Gabriel se refere que devemos batalhar pelo o que queremos e revindicar o nosso direito.

"Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer". Neste trecho Gabriel se refere que devomos nos importar sim com a hipocrisia do nosso governo, e não virarmos a cara como muitos infelizmente fazem.

"Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura". Neste trecho Gabriel insiste a nos dizer que não devos deixar como estão as coisas, até quando deixaremos tudo igual ele nos fala para mudarmos.

"Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?" No refrão Gabriel quer dizer qua até quando ficaramos nos submetendo nestas impunidades do dia a dia.

"Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante"

(Refrão x2)

"A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário"

(Refrão x2)

"A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco"

"A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você"

"Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem q'eu seja educado, q'eu ande arrumado q'eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá"

"Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar"

"Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não".Nestes trechos Gabriel comenta sobre os defeitos do nosso governo em que é frustrante as nossas tentativas de nos erguermos na vida.

"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente"

"Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro". Para finalizar Gabriel nos aconselha a mudar, que se cada um fizer a sua parte o mundo mudará. "Na mudança do presente a gente molda o futuro"

Gosto muito das músicas e rimas de Gabriel o pensador, pois sempre se referindo a sociedade atual reenvidicando os direitos do povo.

-------------------------------------------------------------------------------------


O Tempo

O tempo está sempre presente

anda de segundo em segundo

sempre mechendo com agente.

O tempo as vezes amado

as vezes odiado,

mas sempre respeitado.

O tempo muda, dias imensos

dias curtos, e as lembranças

acabam passando como vultos.

E o meu tempo tão precioso

acabou por aqui!

Vou encerrando,

pois tenho que ir...

como eu mesmo achei bom o meu poemo, tive a liberdade e postei de novo aqui

Poema inventado por Guilherme Moreira

Pintinho amarelinho

Quarta-feira, 14 de novembro de 2007
A lição do pequenino pintinho amarelinho
Um dia, eu estava olhando para um pequenino pintinho amarelinho. É que minha avó criava galinhas, e uma delas botou ovo, o que, aliás, corresponde ao hábito de várias galinhas, e do ovo nasceu esse pequenino pintinho amarelinho. Certo. O pequenino pintinho amarelinho andava pelo pátio da minha avó, e eu tinha, sei lá, uns 12 anos, e me agachei para olhar o pequenino pintinho amarelinho, e ele ficou zanzando pelo pátio e aí apareceu aquele gato. Era um gato grande e preto e de aparência pachorrenta, e pachorrentamente ele se deitou no meio do pátio e ficou observando o pequenino pintinho amarelinho, exatamente como eu fazia logo ali, a uns dois metros de distância.


O pequenino pintinho amarelinho pouca atenção deu ao gato, continuou caminhando, trôpego, e piando. O gato, no entanto, cravou os olhos dourados no pequenino pintinho amarelinho e quedou-se a examiná-lo com grande interesse.

Chegou a passar pela minha cabeça que o gato talvez tivesse a intenção de comer o pequenino pintinho amarelinho, mas achei, também, que não deveria intervir no curso da Mãe Natureza, que melhor seria permitir que os dois animaizinhos se entendessem e que o gato, afinal de contas, não tinha uma aparência tão ameaçadora assim, ele era pachorrento e provavelmente preguiçoso e só fazia olhar com certa benevolência para o pequenino pintinho amarelinho, que foi se aproximando dele, se aproximando dele, se aproximando, até que o gato, sem despender muito esforço, saltou sobre o pequenino pintinho amarelinho e o devorou de uma única bocada, restando tão-somente uma pena amarela a esvoaçar pela atmosfera do pátio da minha avó, como uma folha caída de outono.

Essa história edificante mostra como a gente não deve perder certas oportunidades. Eu perdi a de salvar o pequenino pintinho amarelinho, o Ramon perdeu a de entrar na área e marcar o gol contra o São Paulo, no fim do segundo tempo da partida de domingo, mas o gato, ah, esse não perdeu a oportunidade de almoçar aquele tenro, delicioso e burro pequenino pintinho amarelinho.

Texto publicado hoje na página 59 de Zero Hora.




Enquanto pensava sobre que tipo de crítica eu poderia escrever discutia com meu irmão sobre como deveríamos aproveitar as chances que nossa vida nos oportuniza. Foi a partir daí que resolvi que me focaria em um tema que me permitisse expressar não somente minha opinião sobre o texto, mas sobre a vida. Após ler “A lição do pequenino pintinho amarelinho”, página 59 da Zero Horas de quarta-feira, 14 de Novembro de 2007, comprovei a tese que argumentava contra meu irmão. A cronica bem estruturada, que apresenta de forma simples uma lição para vida nos faz pensar por horas. Desenvolvido a partir de uma simples situação da infância do autor, ele nos mostra que devemos aproveitar as oportunidades dadas pela vida. Na pequena história, que com certeza ajudará David a ensinar lições de vida à seus filhos, ele retrata a chance que teve de salvar um inofensivo e gracioso pintinho amarelinho que se encontrava no jardim de sua avó de um inesperado predador que aparecera. Além de abordar as chances que a vida nos traz o autor ainda consegue demonstrar que não devemos vender nossa confiança. Após longos minutos admirando o pequeno projeto de galo David se depara com mais um novo observador daquela pequena e inofensiva criatura, um gato. Dando credibilidade e crendo que o gato não passaria de mais um admirador o autor não se incomoda em deixar livre o pintinho para que pudesse brincar, ao contrário do que o credor acreditou o gato não pensa duas vezes e age conforme a mãe natureza o instruiu, o pintinho é devorado e somente uma simples pena resta para ensinar duas lições. A de que não devemos confiar sempre sem ter certezas, e que oportunidades que surgem em nossas vidas são feitas para serem aproveitadas, como a que o autor teve de salvar a pequena criatura amarelinha e não a fez.
Rafaella Fagundes

Anos 60

Anos 60

Eu preferia quando os carros
tinham placas amarelas
Eu preferia quando não usavam
grades nas janelas
Eu queria que voltassem
os anos sessenta
Eu queria ficar lúcido até os noventa
Eu preferia a época em que amar
não era ultrapassado
Eu preferia quando a diversão
era ler contos do Machado
Eu queria que voltassem os anos sessenta
Eu queria ficar lúcido até os noventa

Banda: Vera Loca

Está música mostra como a nossa realidade está diferente de antigamente (anos 60); por exemplo, quando ele fala das grades nas janelas, ele se refere da violência que hoje em dia está muito presente em todos os lugares. Quando ele fala que amar nos dias de hoje é ultrapassado, é porque para os casais de antigamente, namorar era andar de mãos dadas, era pedir a mão da menina para seu pai... era algo muito mais rígido, e hoje em dia, muitas vezes as pessoas que estão se relacionando nem se conhecem, ou os casais não querem namorar porque querem "aproveitar melhor" a vida.. A respeito dos contos do Machado de Assis, hoje em dia, nós lemos porque é leitura obrigatória no colégio, raramente algum adolescente le por espontanea vontade, ao contrário do passado, que era "a diversão do momento".. Logo, desde os anos 60, o mundo mudou muito, e para o autor os anos sessenta eram melhores.

Gabriela Ghisleni

Amigos

"Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha, é porque cada pessoa é única e nenhuma substiui a outra! Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso."

Charles Chaplin


Gabriela Ghisleni

Que País é Esse


Nas favelas, no senado
Sujeira pra todo lado
Ninguém respeita a constituição
Mas todos acreditam no futuro da nação
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
No amazonas, no araguaia iá, iá,
Na baixada fluminense
Mato grosso, minas gerais e no
Nordeste tudo em paz
Na morte o meu descanso, mas o
Sangue anda solto
Manchando os papéis e documentos fiéis
Ao descanso do patrão
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
Terceiro mundo, se for
Piada no exterior
Mas o brasil vai ficar rico
Vamos faturar um milhão
Quando vendermos todas as almas
Dos nossos índios num leilão
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?

Nesta letra Renato Russo faz uma critica bem elaborada sobre os problemas econômicos e socias presentes no Brasil. De fato, no primeiro trecho da musica o compositor fala sobre a corrupção, e ao mesmo tempo da pobreza presente nas favelas (“Nas favelas, no senado, sujeira pra todo lado” ). Um momento muito interessante da letra é o ultimo verso antes do refrão que diz :
Terceiro mundo, se for
Piada no exterior
Mas o brasil vai ficar rico
Vamos faturar um milhão
Quando vendermos todas as almas
Dos nossos índios num leilão

Nesta parte Renato Russo fala que o Brasil é um país subdesenvolvido e que só poderia enriquecer se vendese as almas de todos os milhões de indios que nestas terras foram assassinados das mais diversas maneiras pelos imigrantes europeus (claro que era uma crítica de maneira ironica).
Junto com a batida intensa da bateria, do violão e do baixo, a musica soa como um grito de revolta contra todos os problemas já sitados, o que torna a composição muito interessante.

Henrique Ouriques Capeletto

CRÍTICA 2




Até Quando?
Gabriel Pensador

Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer

Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer

Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura

(Refrão)
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

(Repete refrão)

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante

(Refrão x2)

A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário

(Refrão x2)

A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco

A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você

Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem q'eu seja educado, q'eu ande arrumado q'eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá

Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar

Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não

(Refrão x2)

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente

Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro

(Refrão)


CRÍTICA

Nesta música Gabriel nos transmite a realidade da classe mais humilde do Brasil, juntamente da decepção da política do nosso país.

"Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer". Neste trecho Gabriel se refere que devemos batalhar pelo o que queremos e revindicar o nosso direito.

"Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer". Neste trecho Gabriel se refere que devomos nos importar sim com a hipocrisia do nosso governo, e não virarmos a cara como muitos infelizmente fazem.

"Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura". Neste trecho Gabriel insiste a nos dizer que não devos deixar como estão as coisas, até quando deixaremos tudo igual ele nos fala para mudarmos.

"Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?" No refrão Gabriel quer dizer qua até quando ficaramos nos submetendo nestas impunidades do dia a dia.

"Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante"

(Refrão x2)

"A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário"

(Refrão x2)

"A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco"

"A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você"

"Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem q'eu seja educado, q'eu ande arrumado q'eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá"

"Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar"

"Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não".Nestes trechos Gabriel comenta sobre os defeitos do nosso governo em que é frustrante as nossas tentativas de nos erguermos na vida.

"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente"

"Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro". Para finalizar Gabriel nos aconselha a mudar, que se cada um fizer a sua parte o mundo mudará. "Na mudança do presente a gente molda o futuro"

Gosto muito das músicas e rimas de Gabriel o pensador, pois sempre se referindo a sociedade atual reenvidicando os direitos do povo.

-------------------------------------------------------------------------------------




O Tempo

O tempo está sempre presente

anda de segundo em segundo

sempre mechendo com agente.

O tempo as vezes amado

as vezes odiado,

mas sempre respeitado.

O tempo muda, dias imensos

dias curtos, e as lembranças

acabam passando como vultos.

E o meu tempo tão precioso

acabou por aqui!

Vou encerrando,

pois tenho que ir...

como eu mesmo achei bom o meu poemo, tive a liberdade e postei de novo aqui

Poema inventado por Guilherme Moreira

Para não dizer que não falei de flores Composição: Geraldo Vandré

Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantado
E seguindo a canção...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Pelos campos a fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição:
De morrer pela pátria
E viver sem razão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não...

Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(4x)


Análise

Geraldo Vandré escreveu essa música em 1968, em meio ao auge da ditadura militar brasileira. A repercussão foi tão grande que culminou com sua prisão e tortura, tornando Vandré um dos mártires da época.
O autor consegue fazer uma síntese de sua geração, retratando a angustia da população perante o regime. Ele incita a todos para que clamem seus direitos, prega a igualdade e estimula a ação rápida. O refrão da música “Vem vamos embora que esperar não é saber, quem sabe faz a hora não espera acontecer”, ficou conhecido como o hino daqueles que se opunham a ditadura e foi, como a música, censurado pelo governo.
Na terceira estrofe, ele cita a fome no campo, algo que ainda podemos ver com intensidade hoje em dia, 40 anos depois. Assim, se pode ver que a maioria dos problemas brasileiros continuam os mesmos, temos um país com uma vasta imensidão de áreas plantadas e ao mesmo tempo uma parcela considerável que passa fome.

Ele acreditava que a luta contra a ditadura deveria ser pacífica, através de protestos e do diálogo, como dito no trecho: “... E acreditam nas flores, vencendo o canhão...”. Entretanto, os militares não compartilhavam de tal visão, sendo mais adeptos do uso da força para conter a oposição.
É feita uma constata que a vida dos soldados do exército não passa de uma trajetória de subordinação incondicional ao regime, completa alienação, lavagem cerebral e sem razão. Isso é algo comum e passível de reflexão, já que a maioria dos soldados a serviço de governos não sabem exatamente o porquê que matam, apenas cumprem ordens estabelecidas por líderes em busca de mais poder.
Autores de letras como esta, pregando a mudança através de meios pacíficos, devem ser louvados não só no Brasil, mas em todo o mundo. A humanidade passa por uma fase, ainda que extremamente tecnológica, de pouco diálogo entre governo e população, casos recentes como a sangrenta repressão a oposição em Burma, na Rússia e no Paquistão, nos fazem sentir falta de figuras como Geraldo Vandré, que acreditavam nas flores vencendo canhão.

GUILHERME BAPTISTA SCHWARTSMANN

ideologia: eu realmente quero uma para viver?

Ideologia: corpo sistemático de idéias, doutrina. Ideologias: ILUSÕES.
Venho a muito tempo pensando com meus botões sobre esses planos chamados ideologias, que muitos dizem ser muito necessário para nossa vida... mas não sei se chego a pensar como tais. Ideologia para mim, serve como uma 'venda' para as pessoas para que seja impossivel vizualizar o mundo como ele realmente é. É justamente uma 'imagem' criada por terceiros, que oculta a maneira pela qual a realidad social foi produzida. Um exemplo de tudo isso são nossos vizinhos norte-americanos, que amam iludir não só o mundo, como também o próprio povo. O que há para comentar de uma população que acredita em tudo que lhes é declarado? Milhares de pessoas morreram e ainda estão morrendo em vão, em uma batalha classificada como 'necessária para o país'..Doutrinas pra ´lá, teorias pra cá..
E o que vem a justificar os comentários rascistas do ganhador do Nobel, James Watson, de que os 'africanos são mais burros'? Ou então do preconceito incutido por homossexuais, negros, mulheres? Porque, durante a Guerra Mundial, ninguém sabia o que se passava nbos campos de refugiados? O que explica tantas pessoas terem apoiado os dizeres de Hitler? Vivemos sob muitas ilusões que camuflam a realidadeç jogamos os jogos da vida, sem saber o que há por trás das cortinas impostas pelo mundo...Obedecemos um padrão que na verdade não exsite. São representaçoes que nos ENSINAM a pensar e a agir, e consequentemente, nos escravizam. A ideologia anda lado a lado com os corruptos, que as usam para nos tranformarmos em marionetes do sistema. Isto pois, através do tempo, ela se transformou em instrumento de DOMINAção do ser humano. Como havia composto Cazuza, viver sob uma ilusão de que tudo está bem, é relativamente difícil. Se fecharmos os olhos para os problemas do mundo, a tendencia é piorar cada vez mais. Cabe a nós se impor, questionar e agir. Nada além do que um ser humano seja incapaz.

Mirella Bertoluci

Humanitas

Não faz muito tempo que li o livro Quincas e gostaria de ter cometado sobre o HUMANITAS. A forma como o autor desenvolveu tal teoria me fez refletir um bocado sobre quem somos e do qeu somos capazes de fazer. O ser humano vai muito mais além doq eu ele mesmo determina, e isto chega a ser um problema. Todos vencedor, de alguma forma, para ter conquistado seu cogitado objetivo, passou por cima de muitas coisas para alcançá-lo. Todo vencedor, portanto, torna-se um perdedor. Mas nem todo perdedor é um vencedor. Se no final rimos ou choramos, não importa, pois é o mesmo. Rimos por ter conquistado o que queríamos, mas choramos por ter perdido ou vendido o que quer que seja para ter obtido nossa conquista. Somos tão perdedores quanto vencedores. Somos nada mais que a consequencia, de tudo o que somos, e do que fazemos. Ao vencedor, as batatas! e nada além das 'batatas'.

Mirella Bertoluci

Soneto de Futebol- Conrado Silva


Quando chega o domingo eu já tenho destino
Vou para o Beira-Rio cantar o meu hino
Se o meu time perder, não faz mal
Pois este se trata do Internacional

O Inter transmite uma paixão sem igual
Este que é o campeão mundial
Pois mesmo que perca pra muito timinho
Deixamos no chão o time de Ronaldinho

Mas esta paixão já tem muita história
Desde o rolo compressor ao "Grenal do século"
Este meu Inter é repleto de Glória!

Para compreender este sentimento
Só torcendo para o Internacional
Time forte e agerrido, cuja história não tem final!!

domingo, 18 de novembro de 2007

Saudade, saudade..


Pode-se definir saudade, ao meu ver, como 'tudo o que fica, do que não ficou'. É um sentimento que está presente na vida de todos e que mostra, na realidade, que o passado valeu a pena. Como é bom reencontrar um antigo amigo, reviver um amor vivido, relembrar aspectos antigos.. Enfim, como é bom ter saudades e, depois, matá-la. Acredito que este é um dos mais belos sentimentos que todos tem! E, por mais que possa causar um aperto no peito em determinadas ocasiões, na minha opinião, vale a pena.

Luiza Cauduro

Proposta tentadora!


Aproveitar a vida acima de tudo. Na dúvida sempre arriscar, nada pode ser tão ruim. Não exigir regras de si mesmo, e se exigir, estar disposto a quebrá-las. Sorrir, ir em frente e curtir. Experimentar coisas novas, aproveitar oportunidades. Nunca se arrepender de algo feito, só de ter perdido noites em casa enquanto podia estar curtindo com os amigos. Dançar que nem o boneco do posto, cantar alto com a pior voz do mundo, falar um número absurdo de besteiras, mas não se importar com nada, muito menos com os que os outros vão pensar. Ficar bêbada ou nem mesmo beber, beijar todos que ver pela frente ou talvez não ficar com ninguém, o importante é curtir da maneira que prefirir, e no fim sempre ter algo pra contar aos amigos e quando olharem pra você com aquela cara de "noooooossa", responder em alto e bom tom: Não tô de bobeira nesse mundinho! Chute o balde e divirta-se. O tempo não para para que você se encaixe à ele, cada minuto perdido são 60 segundos desperdiçados, então aproveite ao máximo!


A idéia que esse texto passa é muito boa! Justamente por isso quis postá-la aqui. Apesar de não conhecer o autor desse texto, para poder confirmar se ele realmente executa o que está pregando, fiquei sensibilizada com a proposta. O texto representa um convite para a reflexão sobre como orientamos nossa vida e acredito que todos os que lêem, de alguma maneira, se sentem tentados a ceder ao impulso de agir da maneira como sugerido pelo autor.

Luiza Cauduro

Falar é fácil..


"Para saber quem somos, basta que se observe o que fizemos da nossa vida. Os fatos revelam tudo, as atitudes confirmam. O que você diz - com todo respeito - é apenas o que você diz. "



Eu não tenho certeza do autor desta frase, porém achei-a muito boa. Acredito que serve para as pessoas refletirem sobre a incoerência de suas idéias e o que, na realidade, cada um investe para atingir seus próprios ideais.

Luiza Cauduro

Amizade


A amizade, para mim, é algo fundamental. Tenho amigas e amigos de anos, que conheço desde pequena. Porém, tenho outros que passei a conhecer a pouco tempo. Independente de como for, acho que ter amigos e companheiros, é algo necessário. Não seria ninguém sem poder contar com o apoio, os conselhos e todas as ajudas que recebo dos meus amigos, bem como não me imaginaria sem poder dividir, com eles, momentos bons, alegres e felizes. Além de todos os meus familiares, meus amigos são pessoas que estão sempre presente no meu cotidiano e que, sem dúvidas, eu dou muito valor. Enfim, são a segunda família que eu escolhi. São companheiros que, nem sempre possuem ideais como os meus, assim como idéias semelhantes. Mas que, de qualquer maneira, não deixam de estarem presentes e aceitarem minhas próprias opiniões. Acho que é podendo contar com pessoas assim, que os meus problemas se minimizam, que as felicidades se duplicam e que tudo passa a ser melhor. Tenho amizades que eu tenho certeza que vou levar para a vida inteira, e isso me deixa muito feliz. Espero que todos, assim como eu, possuam amigos tão confiáveis, presentes e queridos.

Luiza Cauduro

Show da Ivete Sangalo!


Na última quinta-feira, dia 15, eu assisti ao show da Ivete Sangalo e da Asa de Águia na Ulbra, em Canoas. Este local, ao meu ver, não tem uma infra-estrutura tão qualificada quanto aos outros ambientes que ocorreram os shows da Ivete Sangalo que eu fui anteriormente. Eu nunca tinha ido em nenhum show da Asa de Águia, porém achei muito legal! Por outro lado, já fui em vários da Ivete Sangalo. Apesar de achar que o show não seria tão bom, pelo local em que foi realizado, me surpreendi. A Ivete não decepcionou, bem pelo contrário, o evento foi muito animado e, sem dúvidas, pude dançar e cantar bastante! Mais uma vez ela canto músicas mais antigas, bem como as mais atuais e fez com que todo o público pulasse e ficasse animado o tempo inteiro. É justamente por isso que eu sou fã dela, pois ela tem um astral sem igual; consegue fazer com que, não importa quando ou onde seja, seus shows sempre são inesquecíveis. Espero poder ir novamente em shows como esse, como valeu a pena..

Luiza Cauduro

Poema da Vida

Vejo o mundo pela primeira vez
Diante de mim começa a surgir
Ainda não sei
O que posso descobrir?

Cresço mais um pouco
Começo a aprender
Começo a me tornar
Quem para sempre vou ser

Conheço outras pessoas
Surgem as dificuldades
Apaixono-me pela primeira vez
Aparecem as felicidades

Caso-me, tenho crianças
Já sou adulto, por dentro e por fora
Não poderia ser melhor
A vida que tenho agora

A velhice avança
Penso na minha infância querida
Meus filhos crescem
E repetem o caminho da vida

Já sou velho
E por tudo o que vivi
Começo a me perguntar
O que foi que descobri?



Paulo Sogari

Apenas humano

No mês passado, quando a morte de Che Guevara completou 40 anos, o que não faltaram foram revistas, jornais e programas de televisão falando sobre ele. O que se falava, no entanto, nem sempre era o mesmo. A revista VEJA, de 3 de outubro, por exemplo, o caracterizou como uma pessoa perversa, cruel e desumana, capaz de matar a qualquer um que aparentemente se opusesse a suas idéias. Muito diferente do Che Guevara adorado por Flávio Tavares, colunista de ZERO HORA que, em 7 de outubro, publicou uma crônica desacreditando a revista e, novamente, restituindo a imagem de Che como alguém de boa índole que acreditava e lutava por seus ideais. No entanto, nenhuma das fontes se atentou ao fato de que Che Guevara nada mais é do que um ser humano, como qualquer um de nós, que comete seus deslizes, tem seus momentos de glória, e, por vezes, é contraditório. Isso de adorar alguém é muito complicado. Às vezes acabamos adotando uma postura romântica em relação à pessoa e não vemos seus defeitos, algo que todos, sem exceção, possuem. Por outro lado, quando não gostamos de alguém temos a tendência de não reconhecer suas qualidades, outra característica que todos possuímos.. Acredito que a partir do momento em que reconhecermos que todos podem ter características positivas e negativas, passaremos a julgar e conhecer melhor as pessoas, sem nos iludirmos tanto. Foi nisso que tanto VEJA como ZERO HORA pecaram: não conseguiram retratar Che como um ser humano, e sim como alguém acima da característica humana de possuir virtudes e defeitos.


Júlia Rombaldi

A Oração Do Surf

Seguindo a linha e dando continuidade às diferentes orações.
Nosso colega Guilherme Moreira ja postou a oração da ceva.
Agora vai a oração do surf!!



Mar nosso que estais na terra
santificadas sejam vossas ondas,
seja feito nosso swell,
assim no verão como no inverno,
o surf de cada dia nos dai hoje,
perdoais nossas vacas,
assim como nós perdoamos a quem nos rabeia,
e não nos deixai cair na tubulação,
mas livrai-nos do crowd

ALOHA!!!!!


Lucas Rodrigues
a não quero faze
a não sei faze
a não gosto da professora
a não entendo a materia
a não tem mais chance
a não sei mais o que faze
a não deu mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

by Tio Leo

With My Own Two Hands - Ben Harper

Lucas Rodrigues

Música:
With My Own Two Hands - Ben Harper

I can change the world
With my own two hands
Make a better place
With my own two hands
Make a kinder place
With my own two hands
With my own
With my own two hands

I can make peace on earth
With my own two hands
I can clean up the earth
With my own two hands
I can reach out to you
With my own two hands
With my own
With my own two hands

Im gonna make it a brighter place
Im gonna make it a safer place
Im gonna help the human race
With my own
With my own two hands

I can hold you
With my own two hands
I can comfort you
With my own two hands
But you got to use
Use your own two hands
Use your own
Use your own two hands

With our own
With our own two hands
With my own
With my own two hands

A música do Ben Harper descrita acima se refere a capacidade que o ser humano tem para mudar as coisas, basta ele querer. No trecho " I can make peace on earth With my own two hands" percebemos que para conseguirmos a paz, que é desejada por todos de boa índole, devemos somente nos esforçar e agirmos que nós podemos mudar a situação em que se encontra nossa sociedade atualmente.
A diferença entre o querer e fazer não existe. Basta pensarmos "eu quero, eu posso". Se eu quero melhorar o mundo, eu posso melhora-lo. Preciso só de esforço e dedicação que tudo pode ser feito. O mundo ainda não está perdido. Existem muitas pessoas dispostas a muda-lo e se você é uma delas e ainda não se mobilizou, procure ajudar aqueles que começaram a se mobilar unindo-se a elas.
Recomendo também que todos baixem esta musica pois é de ótima qualidade. Finalizo assim a minha critica, não só uma critica sobre a musica, mas também uma critica a sociedade.

Lucas Rodrigues 2ª

Arte Contemporânea

A palavra Arte vem do Latim, significa habilidade. Habilidade de transmitir uma mensagem, um sentimento, ou produzir uma peça puramente estética. Na história da arte existem muitos nomes conhecidos, como Botticelli, Leonardo da Vinci, Pablo Picasso e Claude Monet. A arte moderna, com o período cubista, impressionista, expressionista e etc. também conta com artistas famosos como Matisse,Gauguin e Pollock. Entretanto, atualmente a arte tem se perdido.

Entre instalações, multimídia, ready mades, às vezes os artistas se perdem no conceito de Marcel Duchamp de que “tudo é arte”. Infelizmente, o que talvez o Sr.Duchamp não tenha pensado, é que se tudo é arte, nada é.

Não quero desmerecer completamente a arte que predomina atualmente. Há,sim,o que valha a pena de ser visto e interpretado.Por exemplo,as fotografias de Sylvie Fleury, as figuras de Bárbara Kruger ou os “empacotamentos” de Christo.A arte também passou para o computador,representada pelo webdesign,pintura em photoshop,etc.,que eu,particularmente,considero arte(ou mais merecedor do título que certas obras).É necessária muita habilidade e visão para,por exemplo,fazer o layout de um site.

O problema é,de verdade,quando a arte passa a ser banalizada.”A Fonte”,de Marcel Duchamp é um claro exemplo disso. Qual foi a habilidade dele? De ter um conceito? Todos tem conceitos,causas que defendem.Outro exemplo é o que está numa sala na bienal.Uma sala grande,praticamente vazia,com um telão de um lado,no qual às vezes aparece um homem caindo lentamente,porém quando termina de cair deixa uma tela toda branca. Do outro lado da sala,uma televisão antiga com um vídeo qualquer passando.Qual seria o conceito disso?

“Artistas”,autores destas obras citadas acima,ficam famosos e ganham dinheiro com seus mictórios enquanto verdadeiros artistas,que realmente têm algo para mostrar desistem de sua arte por não terem reconhecimento.

Enfim,aço que todos devêssemos refletir mais sobre o que é a verdadeira arte para cada um,esta não deveria ser um conceito pré-estabelecido.Afinal,será que tudo mesmo é arte?


Instalação por Barbara Kruger


fotografia por Sylvie Fleury


Convite por Roberta Escher (photoshop)


A Fonte,por Marcel Duchamp



Por Débora Pereira

Crítica: Amy Winehouse


Faz mais ou menos um mês que eu ouvi Rehab no rádio e resolvi baixar o último cd da Amy Winehouse. Antes disso, tinha ouvido falar da postura drogada/alcoólatra/agressiva dela com o único objetivo de virar notícia. Ao ouvir “Back to Black”, porém, me surpreendi. As músicas são realmente muito boas, apesar das letras sempre relacionadas à bebida, drogas e centros de reabilitação. É muito difícil ligar a voz de “diva do soul” a sua pessoa: uma branquela de baixa estatura, já que, normalmente, divas são negras e um pouco maiores que ela. Além disso, vários outros artistas de estilos bem diversos, como Arctic Monkeys, Prince e Snoop Dogg, já a elogiaram e regravaram músicas suas. Porém, alguns outros ainda acrescentam que ela não faz jus ao seu talento com suas atitudes. Enfim, apesar do seu fraco por confusões e sua fama de viciada, acredito que Amy ainda fará muito sucesso por sua música, e não por suas loucuras.


parte de Tears Dry On Their Own,
minha música preferida dela :)

All I can ever be to you,
is a darkness that we knew
And this regret I got accustomed to
Once it was so right
When we were at our high,
Waiting for you in the hotel at night
I knew I hadn´t met my match
But every moment we could snatch
I don’t know why I got so attached
It's my responsibility,
You don't owe nothing to me
But to walk away I have no capacity
He walks away
the sun goes down,
He takes the day but I’m grown
And in your way
In this blue shade
My tears dry on their own.
Júlia Rombaldi

A Mão

A mão segura
A mão aprende a caçar
A mão planta e colhe
A mão faz o fogo
A mão inventa a roda
A mão aprende a usar o carvão
A mão cria as primeiras máquinas
A mão começa a poluir
A mão se conscientiza
A mão destrói e refaz
A mão mata
A mão salva
A mão dá a vida e tira a vida
O que será que nossas mãos ainda podem fazer?

Bruno S. Camozzato

crítica

Palavras Repetidas - Gabriel, O Pensador

A Terra tá soterrada de violência
de guerra, de sofrimento, de desespero
a gente tá vendo tudo, tá vendo a gente
tá vendo, no nosso espelho, na nossa frente
tá vendo, na nossa frente, aberração
tá vendo, tá sendo visto, querendo ou não
tá vendo, no fim do túnel, escuridão
tá vendo no fim do túnel escuridão
tá vendo a nossa morte anunciada
tá vendo a nossa vida valendo nada
tô vendo, chovendo sangue no meu jardim
tá lindo o sol caindo, que nem granada
tá vindo um carro-bomba na contramão
tá vindo um carro-bomba na contramão
tá vindo um carro-bomba na contramão
tá rindo o suicida na direção

"É preciso amar as pessoas como se não houvesseamanhãporque se você parar pra pensar a verdade não há"

A bomba tá explodindo na nossa mão
o medo tá estampado na nossa cara
o erro tá confirmado, tá tudo errado
o jogo dos sete erros, que nunca pára
7, 8, 9, 10... cem erros meus, erros seus e de Deus também
estupidez, um erro simplório
a bola da vez, enterro, velório
perda total, por todos os lados
do banco do ônibus ao carro importado
teu filho morreu?
meu filho também
morreu assaltando, morreu assaltado
tristeza, saudade, por todos os lados
tortura covarde, humilha e destrói
eu vejo um Bin Laden em cada favela
herói da miséria, vilão exemplar
tortura covarde, por todos os lados
tristeza, saudade, humilha e destrói
as balas invadem a minha janela
eu tava dormindo, tentando sonhar

"É preciso amar as pessoas como se não houvesseamanhãporque se você parar pra pensar a verdade não há"

Sou um grão de areia no olho do furacão
em meio a milhões de grãos
cada um na sua busca, cada bússola num coração
cada um lê de uma forma o mesmo ponto de interrogação
nem sempre se pode ter fé
quando o chão desaparece embaixo do seu pé
acreditando na chance de ser feliz
eterna cicatriz eterno aprendiz
das escolhas que fiz sem amor, eu nada seria
ainda que eu falasse a língua de todas as etnias
de todas as falanges, e facções
ainda que eu gritasse o grito de todas as Legiões
palavras repetidas mas quais são as palavras que eu mais quero repetir na vida?
Felicidade, Paz, é... Felicidade, Paz, Sorte
nem sempre se pode ter Fé, mas nem sempre a fraqueza que se sente quer dizer que a gente não é forte.

A musica ''palavras repetidas'' mostra a realidade do mundo atual, onde todos conseguimos ver o que está acontecendo, porém nao podemos fazer nada para mudar. As pessoas cada vez tem mais receo de sair na rua com medo de serem assaltadas, ou violentadas. O que elas mais querem é serem felizes e viverem em paz, mas para isso tem que contar com a sorte.

Marcelo Caselli

POEMA

Grêmio meu amor

Azul como o céu e o mar
Branco como a nuvem
Preto como a noite
Tricolor és minha alegria
Grêmio vai à luta
Meu coração dispara
A emoção toma conta de mim
Mais um campeonato
Mais uma batalha
Sempre copando
Sempre lutando
Não desistir nunca
Pois jamais nos matarão
Esse é o lema gremista
Esse é meu lema
E somente quem é gremista
Entenderá esse poema
Pois o Grêmio não é um time
Grêmio é um sentimento
Que nunca acabará
A cada vitória
A cada derrota
Estou cada dia mais apaixonado
Por ti tricolor

Marcelo Caselli

"Má Educação"


“Dois meninos, Ignacio e Enrique, conhecem o amor, o cinema e o medo num colégio religioso no início dos anos 60. O padre Manolo, diretor do colégio e seu professor de literatura, é testemunha e parte dos descobrimentos. Os três personagens voltam a se encontrar outras vezes mais, ao final dos anos 70 e 80. O reencontro marcará a vida e a morte de algum deles.”


Conhecido por criar personagens polêmicos e por trazer ao cinema espanhol temas como a homossexualidade, Pedro Almodóvar, diretor e roteirista de “Má Educação” surpreende neste filme. Não apenas por retratar a questionável Igreja Católica e/ou a opção sexual de seus personagens, mas por criar dentro da trama três histórias parelas que, ao decorrer do filme, se encontram em um trágico final. Ignacio, Ángel e Juan, personagens de Gael García Bernal, na verdade, são o exemplo das amibições do homem, que é capaz de matar para conseguir o que almeja. Almodóvar, também diretor de “Volver”, pode ser uma figura ambígua e de certa forma polêmica, mas é inquestionável o seu talento com temas atuais, que muitas vezes, cineastas preferem não retratar por serem considerados“pesados” a sociedade mundial, como a pedofilia em “Volver” e a homossexualidade em “Má Educação”, mas, na verdade, são dramas que apenas remetem a nossa dura e crua REALIDADE.
Mariana Guimarães Silveira