terça-feira, 13 de novembro de 2007

O tempo passa

Já faz onze anos desde que deixamos o pequeno jardim de infância e nos mudamos para o gigante Colegião. Tantas expectativas foram criadas sobre deixar de ser crianças do jardim e nos tornarmos alunos do então colégio dos mais velhos. Se lembram dos infinitos recreios e horas do lanche? Das aulas, que não eram aulas, mas faziam com que nos sentíssemos os alunos? Dos esconde-esconde, e do pega-pega que continuou conosco no colégio até a quarta série? Da tia Verinha e a tia Jô que sempre estavam ali? Pois é já se foram longos onze anos, mais de uma década, mas mais da metade de nossas vidas. Já faz mais da metade de minha vida que acordo todos os dias pela manhã e encontro todos vocês. Claro, nossa turma foi se formando aos poucos, a cada ano ia entrando um novo aluno, ou alguém ia nos deixando. Porém, estas entradas e saídas sempre deixavam alguma coisa, afinal a gente não entra na vida de alguém sem um propósito. Tenho certeza que além de se lembrarem dos nossas colegas vocês devem se lembrar de alguns professores: a Graça, a Denise, a Cristina e a Kátia são as que mais me recordo, talvez pelo fato de terem sido as pessoas que nos deram uma “base” maior no colégio, foram as que nos ensinaram a ler e a escrever. Junto de tantas lembranças acabamos às vezes esquecendo de olhar para o lado e dizer para alguém que estes onze anos juntos nos ensinaram muito. Foram anos maravilhosos que passei com vocês, foram tantas coisas, tanto da minha vida. Algumas vezes as memórias vem em mente e como muitas vezes vocês estavam presentes acabo pensando onde cada um de nós estará daqui dez, ou quem sabe vinte anos, será que teremos realizados nossas metas, atingido nossos sonhos? Estaremos tendo a profissão que sempre estávamos falando quando pequenos? Neste quase último ano que irei acordar e entrar pela porta da sala e saber que irei ver um pedaço da minha infância ali me tranquiliza, mas me faz pensar que a vida deve ir em frente ela deve e irá seguir. Quero que todos vocês saibam que tenho certeza que aprendi com cada um de vocês, não só quanto a matérias, mas quanto a me tornar uma pessoa. Então este último ano que passaremos juntos acredito que será o que mais irá me fazer refletir e lembrar da minha velha infância que já se foi, mas continuará para sempre nas lembranças e no coração, assim como cada um de vocês podem ter certeza.

“ O tempo passa e não vejo você,
As flores que me deste já murcharam,
Mas o meu amor não.
Sinto saudades de te ver,
Mas minha grande esperança é reencontrar você.
Vejo você em todos os lugares,
Mil fotos, mil olhares.
Mas a única verdade é que de você eu sinto saudades.
E quando voltar, meu amor,
Meus sonhos irão se realizar.”

Alunas da 4ªA.

Acredito que maior parte das meninas irão se lembrar de um poema que sempre me faz voltar à quarta série.

Rafaella Peuker Fagundes


7 comentários:

2Ab tronic disse...

Taurona, quase chorei lendo! Que lindo, sério! E sobre o poema, não preciso nem falar nada, né! Me lembro até hoje da cena, das gurias que estavam la, da sugestoes, do lugar que a gente tava, tudo tudo tudo. Ba, so ne imaginar que ano que vem é o ultimo...

Bjs, Martha

2Ab tronic disse...

Toro, amei o texto! e o poema? guria, eu mi lembro até hoje de todas as gurias nas arquibancadas do campão fazendo altas rimas uashuasihasuihas amei amei, beeijos mari

nica_gouveia disse...

tauri pelo amor de deus que coisa linda, ja me emocionei com o que tu escreveu, mas quando tu colocou o poema meus olhos se enxeram de lagrimas. amei! beijao

Debora disse...

Lindo,lindo,toro!a gente nem percebe o tempo passar,e,quando vê,chegou o último ano. Eu me lembro que na 2º série a professora dizia que o cubo grande do material dourado a gente só ia usar na quarta série,e aquilo parecia tããão longe!

amei o texto ;*

"É preciso estar sempre embriagado.
Para não sentirem o fardo incrível
do tempo, que verga e inclina para a terra,
é preciso que se embriaguem sem descanso.
Com quê? Com vinho, poesia, ou virtude,
a escolher. Mas embriaguem-se."

ju_rombaldi disse...

Aaaaaah Taurona! Que coisa mais linda, sério! Acho que não preciso nem dize que me emocionei muito né! E o poema esse! Não chego até a sai numa das folhas da agenda? e a fotiiinho que coisa mais fofa haha
beiiiijos

2Ab tronic disse...

Não fiz parte da 4A e muito menos do jardim, mas me emocionei, afinal estamos entrando na reta final e sei que sentirei falta dessa rotina, que hoje eu caracterizo como insuportável, mas que eu tenho certeza que vai deixar muitas saudades!!
Larissa

carolina disse...

Taurona que lindoo sério!!
tambem nao fiz parte da 4º série, mais so de pensa que ano que vem é o último ano! báa, vai deixar MTAS saudades tudo com certeza. e ano que vem É NÓÓS, vamo aproveita demais!